quarta-feira, 1 de outubro de 2008

The Running Man

Permitam-me tomar sua atenção por um momento. Agradeço a todos que tiveram a parcimônia e a boa-vontade de atender ao meu pedido e prestar um minuto de sua atenção à minha declaração. Permitam-me contar a história de um rapaz que passa por sofrimentos os quais um jovem escritor de classe média não comumente protagoniza. Permitam-me contar a história de um rapaz que se meteu numa confusão do tipo que a gente só vê nas novelas da TV. Permitam-me contar a história de um rapaz que está correndo para salvar a própria vida.

Por que eu vim para o Pará? Tantas vezes fui perguntado, e para algumas eu descrevi detalhadamente a situação, embora tenha despachado a maioria com um bem-humorado "Ainda estou tentando descobrir". No início do ano quando, por motivos que pretendo manter em segredo, eu organizava minha mudança para Curitiba, minha família recebeu uma visita inesperada. Zenildo Taylor, padrasto da minha mãe, e seu filho Kim, vieram à Santos. Ao que parecia, a família Taylor sofrera um baque tremendo e inesperado com a morte da esposa de Zenildo. Numa jornada em busca de si mesmo, e de uma nova razão para se viver, eles regressaram à Santos em busca de sua família, família essa que incluía minha mãe, seu marido e seus filhos. Ele queria ter a família unida novamente, ter todos junto consigo no Pará, onde ele poderia prover a todos com uma vida digna e confortável, junto àqueles que lhe desejam o melhor: sua própria família.

Needless to say, as coisas não eram bem assim. Mas eu chego lá.

Fascinados por essa idéia de uma vida tão maravilhosa, meus pais decidiram que iríamos ao Pará. E eu achei a idéia maravilhosa, pois precisava mesmo mudar de ares um pouco, e tratei de ajudá-los a convencer meus irmãos. Long story short, viemos ao Pará. E foi quando a merda acertou o ventilador.

Zenildo gradualmente revelava sua verdadeira natureza: um monstro, um homem verdadeiramente mesquinho e cruel. Sua so-called popularidade em Castanhal era justamente o contrário: poucas vezes vi alguém tão temido e odiado em algum lugar. Era mal visto em todos os lugares aonde ia, e denegriu nossa imagem na cidade imediatamente, simplesmente por nos associar a ele. Por meses nos foi difícil encontrar trabalho e amigos, por estarmos cobertos pela sombra de infâmia que esse estelionatário impôs sobre nós. E eu digo estelionatário pois ele nada mais é que um criminoso. Buscava diariamente nos extorquir desde que aqui chegamos, ameaçava-nos violentamente, bem como qualquer outra pessoa que se pusesse em seu caminho. Opera um jornal com uma licença jornalística falsa, uma vez que nem mesmo concluiu o Ensino Médio, e rouba artigos de outros jornais para abastecer seu jornal com matérias inócuas e despropositadas. Sua verdadeira intenção ao nos trazer para cá era era explorar a imensa inteligência e capacidade do meu pai, e o diploma de jornalismo da minha mãe. Mal sabia ele que não estava mexendo com trouxas, e não nos deixamos intimidar nem sermos roubados por esse facínora. Nossa recusa em, francamente, "trabalhar por ele" foi o golpe final em sua desgraça, e a vida de Zenildo Taylor finalmente atingiu o fundo do poço.

Esta semana, porém, as coisas complicaram. Às portas da falência, Zenildo está tentando tirar dinheiro de qualquer um e de qualquer jeito, sob sua especialidade: a intimidação e agressão. Porém, como sempre, não nos deixamos intimidar por ele. Numa tentativa desesperada de provocar a fúria do meu pai - afinal, ele é um idoso comprovadamente insano. Uma agressão contra ele significaria uma gorda indenização - ele foi ao trabalho de meu pai, onde o agrediu verbal e fisicamente. Mas em lugar de ceder à provocação, meu pai foi à polícia. O delegado teve imenso deleite em ver alguém finalmente se erguer contra essa ameaça à sociedade, e logo tratou de enquadrá-lo em DEZENAS de crimes. Mas a história não acaba aqui.

Acuado, enfurecido e insano, Zenildo fez aquilo que andava ameaçando já há muito tempo: planeja matar-nos um por um. Aqui é fácil e barato contratar um pistoleiro, por isso não duvido nada que ele possa ter feito isso. Eu queria ficar e enfrentá-lo, pois não tenho medo dele, mas meu pai foi inflexível: ele vai mandar minha irmã de volta à Santos. Ele me mandou com ela para protegê-la, mas sei que diz isso só para amaciar meu orgulho; na verdade, ele teme pela minha segurança também. Enquanto isso, o processo continua correndo. Meus pais agora andam sob escolta policial e, com alguma sorte, esse bandido receberá a devida punição.

Quanto à mim... estou voltando para São Paulo com minha irmã. Saio de Castanhal hoje para voltar ao lugar do qual nunca deveria ter saído, e com a sombra da morte a nebular o céu sobre minha cabeça. Tou voltando, gente. Wish me luck.

15 comentários:

Dani.chan disse...

Nossa, é muito chato saber que voce vai ter que voltar assim, mas por outro lado, vai ser bom te rever :)

Cuidado com esse cara, espero que a justiça faça tudo o que tem que ser feito! Um monstro desses nao pode continuar solto nao!

Boa sorte Pedro, vai dar tudo certo :)
qq coisa, já sabe.

:***

Lorraine disse...

NOSSA meu,que péssimo /: boa sorteee pra vc e pra sua família!

Renato disse...

Como disse no meu blog
Pessoas honestas ou se tornam corruptas ou morrem.
Literalmente.

Bem q achei estranho essa mudança pro Pará, mas sua familia q sabe oq é melhor pra vc.
Boa viajem e volte o quanto antes.

leilton disse...

Nao acredito no que meus miopes olhos leram!
Nao sabia q vc vinha passando por isso...tantas tardes jogando RPG na mais pura distraçao e vc nunca compartilhou isso comigo ou com alguem do grupo...cara estou realmente chocado com oque acabei de ler...ate parece uma historia de ficçao...pensei estar lendo algo tirado de um livro de casos policias...mas assim q li o nome pistoleiro vi q era mesmo um caso daki...

QUE NIMB ROLE BONS DADOS PRA VOCÊ MEU AMIGO!

Vanessa Kairalla disse...

Aiiiii :///
Corre homi! Corre!
Mas peraí! Como assim seus pais não vem junto?! Vem todo muuuundooo!!
Ai que medooo ;-;
Boa sorte para todos vocês :)
E tomem cuidadooo pelamor!!

Priscila disse...

volta logo

Claudia Ayumi Chinen disse...

=O( boa sorte ae viu, qualquer coisa to aqui e vc ta voltando *-* finalmente vou t conhecer pena q esta voltando dessa maneira =O/ mas fica bem ae beijos

renato.simonetto disse...

Welcome back! zD

renato.simonetto disse...

Com sorte você chega a tempo de ir na festa da Vi! huahuahua

Chester disse...

cara

eu não fazia idéia do quão pesada estava a barra aí pra você, você só me falou a primeira parte da história (juntar a família)

é sério, nunca imaginei que fosse assim tão foda.
logo, desejo boa-sorte a você, e principalmente aos seus pais, pois nenhum de vocês merece passar por isso

Setz disse...

HOLY SHIT MAN!

bom, uma opção a menos pra ir trabalhar. =(

a não ser que vc ainda ache ser uma boa idéia eu ir pra lá, afinal, os ADBs da facção paraense não podem ficar desamparados.

bem, assim que chegar, liga aqui em casa

mas não a cobrar. a linha agora é econômica. XD

falow \o boa sorte, e fala pro seu pai contratar um pistoleiro pra dar cabo do zenildo! (ou bater nele com um machado, afinal seu pai ainda é lenhador, não é?)

Charles disse...

eu posso ser um inutil agora, e muito menos tenho o conhecimento necessario para falar algo...

apenas digo, eu estarei aqui esperando um retorno, e espero que você esteja ai esperando uma visita... grandes pessoas são tiradas de nós muito rapido, talvez acrecente,"e da forma mais cruel e que cause maior impacto possivel"...

aqui vai ser sempre uma alternativa de Lar...

se lembra que quem continua mandando aqui é agente rapá ^^

... boa sorte, e até mais AMIGO...

Anônimo disse...

po cara repito as palavras da dani

Mrsvago disse...

I´m reallly srry...I´m so desapinted with this situation...and I also so sad cos my dear aunt spent so much time with this mutherfucker, her life was ruined...
But nothing comes vack...
And all I wish andI want at this moment is thatb you get free off s this rat...I´m also have a deeep down feeling dor my 2 cousins...cos they don´t have anyone else t endure the badness, the crazyness..
Anyway I´m sorry, in the name f of my aunt ...and in my my name as personwho has feelings...
I really hope you success and peave of heart again.

Kim disse...

A quem possa interessar.
Por Zenildo Taylor, alguém que um dia quis ajudar uma família de abutres.

A mente do Pedro é muito fértil, ninguém aqui falou em mandar matar quem quer que seja, convidei a familia de Pedro para Castanhal para aqui reconstruirem suas vidas, para cá vieram e aqui ficaram as minhas /custas durante quase toda a permanência, fizeram de minha casa uma pocilga, daqui foram embora me devendo, até um bujão de gás que me pegaram emprestado. O irmão do Pedro o Paulo foi logo para Fortaleza atrás de drogas, é um drogado, um dependente de drogas sem jeito. o Pedro segundo me informaram tambémn gosta, eu quererutilizar diploma de jornalismo pra que, se qualquer pessoa pode ser proprietário de um jornal ou um parque gráfico, não é exigido diploma, e meu jornal, aé considerado o melhor da cidade, o pai do Pedro é uma pessoa de duas palavras, não é confiável e a mãe é do mesmo kilate, Quem são essas pragas, gfraças a
Deus sumiram daqui, anoiteceram e n ão amanheceram deixando dívidas e mais dívidas na cidade. só agora depois de muito tempo é que tive conhecimento cdesse blog, que se dane o Pedro não serve pra nada mesmo, não tem codragem de trabalhar, é metido a dono da razão que não tem. Poderia processá-lo por calunia e difamação, mas não vale a pena perder tempo e gastar dinheiro com porqueiras como eles. Que tomem vergonha na cara.