domingo, 13 de julho de 2008

Um interlúdio educativo

Eu não costumo escrever coisas sérias por aqui... geralmente é a válvula de escape das minhas bobagens... mas hoje vai servir como válvula de escape da minha frustração como cidadão, escritor, estudante e (tentativa de) intelectual.*

*Desculpa, mas as histórias do cursinho vão ficar pra semana que vem.

Ontem eu tava assistindo o programa do Jô, quando foi entrevistado o ministro da Educação. Fazia tempo que não via o Jô, e fico muito feliz por não ter ido dormir cedo ontem, pois foi uma entrevista assaz interessante. Devo dizer, porém, que mais do que informado ou entretido, essa entrevista me fez bastante pesaroso.
O que posso dizer do nosso admirável ministro é, infelizmente, um triste adjetivo: pobre coitado. Sim. Sabe aquela cena do filme "O Último Samurai" em que aqueles guerreiros valorosos e competentes são alvejados por gatling guns? Ele é o general samurai: um grande espadachim cercado de idiotas com metralhadoras.
Apoiar a educação no país já é uma dança da morte. Vivemos num país de bosta que aprovou o corte de verbas para a educação no clímax da Era da Informação (tipo Rise of Nations, quando você chega no máximo, fraga?) e o resultado só poderia ser o que aconteceu exatamente: os países que investiram na educação progrediram e alcançaram os céus, enquanto o Brasil, com seu vasto capital mal-investido, continuou à deriva do mundo moderno.
Ser professor no Brasil é uma merda: se você é professor de escola particular, você é pago pra ensinar as pessoas a ganharem mais dinheiro que você. De escola pública, é pago pra fingir que ensina. Os alunos fingem que aprendem, o governo finge que fiscaliza e o Brasil finge que tá melhorando. Aos 33 anos, o ex-aluno finge que foi educado e eu finjo que me importo com a situação dele do outro lado do balcão da lanchonete.
Outra coisa que me revolta, como eu acabei de mencionar, é a fiscalização do ensino. O ENEM é uma piada de muito mal gosto. Eles adoram publicar todo ano como os resultados do ENEM melhoram progressivamente, que o ensino médio brasileiro está se aprimorando... o que eles não dizem é que o ENEM é uma ofensa ao corpo docente brasileiro e aos alunos avaliados! As perguntas são fáceis, ridículas... eu já vi passatempos de gibi da Mônica mais difíceis que questões do ENEM. O próprio governo está dizendo aos brasileiros: "Ô idiota! Responde isso aqui direito pra eu poder dizer pros outros que não é graças à nós que você não vai conseguir passar no vestibular!"
Pra finalizar com a pataquada que é o disfarce da péssima educação pelo governo, fica a questão dos vestibulares. Ao invés de melhorar e trabalhar o ensino, o próprio governo tá jogando às favas. Como quem diz "Não tem jeito, vamos é tentar enrolar", vão destacar vagas exclusivamente para alunos de escolas públicas. Ou seja, um cara que fez o colegial em escola pública e depois fez cursinho pré-vestibular, estando assim tão capacitado quanto eu, tem mais chances de ser aprovado no vestibular, porque tem vagas reservadas para ele! O governo empurra o problema com a barriga direto pra dentro do meu cu.
Outra coisa que me revolta é a falta de incentivo à leitura. A única injustiça do mundo que eu perdôo é o preço dos livros; esses receptáculos de conhecimento deveriam ter seu peso avaliado em ouro. Acontece que aqui no Brasil isso de fato parece acontecer; além de ser um país com uma média baixíssima de leitura (30 livros por pessoa/ano), o pouco atraente preço dos livros não facilita em nada sua popularização. Com os livros caros, poucas pessoas lêem. Quando uma pessoa não lê, priva-se deliberadamente de conhecimento. E só pra completar, faz com que seja uma luta infernal ser escritor no Brasil, já que não há "mercado".

Bom... pra não dizer que só tou falando mal, tenho que aplaudir as mais recentes ações do ministério da Educação. Lembra do corte de verbas da educação que eu mencionei? (que por sinal, foi uma MEDIDA CONSTITUCIONAL CONTRA A EDUCAÇÃO, vê se pode?) Pois é, acaba de ser revogado. Agora é só repassar um pouco desses BILHÕES que sobram por ano nos cofres públicos para as escolas e bibliotecas. Além disso, foi aprovado um piso salarial para o magistério brasileiro; no more professores recebendo salário mínimo, e plano de carreira para professores formados. Não é muito, mas já é alguma coisa. E finalmente, a reinstauração da filosofia e sociologia como disciplinas obrigatórias. São duas áreas de absoluta importância na formação do cidadão e do ser humano: é preciso - não... imperativo! - ensinar a ciência do pensar e do agir! Qualquer pessoa deve saber e compreender o mundo onde vive, a sociedade que o cerca, e acima de tudo, a si mesmo na medida do possível.
Fica aí a bronca e o aviso, mas também os parabéns ao progresso recentemente alcançado. Não adianta tentar consertar o país: tá uma bosta! Conserte o brasileiro que é mais fácil. Com brasileiros 2.0 fica mais fácil construir um país melhor.

7 comentários:

Vanessa Kairalla disse...

nossa, aplaudo de pé todas as suas palavras!
Eu acabei de escrever no meu blog (muito bizarramente algo parecido hahahaha) minha Utopia, ela seria o máximo, com pessoas educadas - no sentido próprio da palavra - haveria cortesia e acredite se quiser até mesmo segurança e saúde, seria lindo, mas não é.
Os professores são na verdade atores disfarçados para enganar a realidade.
O ENEM é uma peça de teatro onde i Brasil atua para o público internacional assistir e acreditar que aquilo é tão real quando os amores enlouquecedores de Shakespear.
Vivemos num teatros onde todos os cidadãos vestem suas fantasias diariamente e finjem que o miserável sentado nas ruas é apenas mais um ator.
Fingimos que está tudo ótimo para não surtarmos com uma crise tão eterna.
Ontem fui comprar uns livros para ler enquanto estiver operada e eu vi um único livro que custava 490 reais, ou seja, um único livro mais caro que o salário mínimo.
Simplesmente vergonhoso a atual situação do Brasil, vivemos hoje a Idade Média da Europa, os que possuem maior poder aquisitivo são os senhores feudais e o povão é a massa camponesa. Os mais ricos controlam para que os mais pobres continuem ignorantes e manipuláveis, para que por fim os mais ricos fiquem mais ricos e os pobres mais pobres.
Acho que está na hora de pegarmos nossas enxadas, facões e tochas e sairmos caçando os senhores feudais!!
E assim poderemos enfim clarear a nossa idade das trevas!!



beijos ;**
desculpa o super comentário hahahaha

Dani.chan disse...

Depois perguntam o porque que eu não fiz o ENEM, não preciso de uma prova ridicula para mostrar o quanto eu sei.
O que me deixa mais possessa é essa porcaria de cotas, nossa, isso me sobe o sangue, eu estudei em escola particular, mas em escolas baratas, não queira comprar pagar 200 conto por mes com 700, né? :/

Fazer o que, um dia eles aprendem.

Assim, como a Van, eu aplaudo suas excelentes colocações.

:***

Tanauan disse...

mando bem!

Anônimo disse...

assisti essa entrevista também, e senti que o ministro tah extamente do jeito que você descreveu.

Anayran Pínheiro de disse...

tp, eu tb vi tal entrevista, e assim, acho bonito demais o trabalho que o Fernando Haddad está tendo com a educação.
Espero ser um grande professor, e poder mudar a educação nesse país, e a entrevista com ele me animou a ir atrás de tal sonho.
Acho que as palavras q vc escreveu nesse post não são nenhum pouco de se jogarem fora, pois vc está com mt razão.
Assim como vc se indigna de ver o ENEM como uma puta palhaçada, eu fico indignado ao ver que o RESTO do páis faz pouco caso com a Educação.
Acho que deve partir de nós tb um pouco a melhorar a educação.
Dar uma assistência a alguma criança, incentivar ela a leitura, tudo bem. Ainda será pouco, mas mobilizando uma criança é possível se mobilizar diversas outras.
Minha opinião saca?
E parabéns cara!
seu aniversário hj! XD
abração!

[A.D.B.] Mr. Hetfield, o "Festa" disse...

Cara, eu bem que poderia ter assistido tal entrevista pra dar uma opinião com maior fundamento! Mas digo que suas palavras são mais do que verdadeiras! Não é de hoje que eu digo que se faz necessário fechar o Brasil pra balanço pra corrigir tudo que há de errado, tanto na instrução do brasileiro como cidadão, como a distribuição da renda para tal fim e outros!
Um dia nós conseguiremos, amigos, mesmo que , pra variar, isso custe vidas!

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu