segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Lendas Lendárias do Cursinho: Parte 3/3 - O Insulto Final

Finalmente, a tão esperada segunda parte das histórias do cursinho =D

O comentário do Carrera lembrou-me algo. As cartas ao Igor renderam ao nosso pequeno quarteto (Carrera, Judeu, Pantera e eu) e nossos amigos mais próximos uma certa popularidade entre a turma. Sem qualquer pedido ou incentivo, formou-se uma corrente de informações que concentrava-se no Judeu. A qualquer momento podia aparecer algum bilhetinho na mesa do Judeu, com informações como "Fulana quer pegar o Simão", "Hoje é aniversário do Adotado" ou "O nome do Boné Branco é Gilvan Jr." Isso ajudava muito a tornar nossas brincadeiras (principalmente as cartas) mais engraçadas e atualizadas.

Outro pequeno fato é que todos os professores imitavam siri por trás da bancada. A melhor imitação era a do professor Papai Noel.

Outro pequeno fato: o dono do Objetivo é o mesmo dono da UNIP. De quando em quando, os professores mencionavam faculdades. Ao começar a falar da UNIP, eles aumentavam o volume do microfone, dizendo que "A UNIP É UMA EXCELENTE FACULDADE, TOP DE LINHA...", enquanto os alunos entoavam "Olha o salário subindo!"

Lembrei-me do lual do cursinho. Ou melhor, de seu acontecimento. Tudo que me lembro do lual do cursinho é de uma fogueira, uma rodinha de "natural", muito álcool, o Piu-piu ficando pelado, uma longa conversa com o Fifo, trabalho braçal, meu primeiro beijo à três, e essa foto*. Foi uma boa noite... pelo menos o pouco que me lembro dela. Carrera, sinta-se livre para fazer mais comentários.

O professor Webel, de geografia, era famoso por suas gracinhas. Aplicava a terapia "Eu sou feliz!" ao aluno que desenhasse o mapa mais expressionante de nojento no Concurso KiNojo, dava para os alunos que respondiam certo uma balinha importada de "Itanhanhém", manifestava seu descontentamento balançando a cabeça entre muxoxos e murmurando "Expressionante!", e repudiava o cantor Wando, o qual ele freqüentemente criticava em aula. Conta a lenda que ocorreu um concurso no rádio que premiaria uma mulher com um jantar com o Wando. Um aluno (o que divulgou a história) foi inscrever o professor no concurso, mas o atendente respondeu que somente mulheres poderiam se inscrever. E completou "Mas vem cá, quem é esse tal de Webel? Você já é a quinta pessoa hoje ligando para inscrevê-lo"

Os professores de Biologia eram, de longe, as maiores figuraças. O professor Ambrósio era bom professor e bastante engraçado. Vivíamos mandando-lhe bilhetinhos perguntando como funcionava o sistema digestivo dos klingon, entre outras piadas de trekkie.

O professor Abe era uma figura. Um japonês baixinho, muito surdo, e que falava com um sotaque muito engraçado era quem mais rapidamente arrancava risadas dos alunos com suas piadinhas sem graça (Por que o mar é azul? Porque o peixinho faz "blu blu blu...") e seus mantras de aprendizado:
Abe: Pteridófita é...?
Classe: Planta!
Abe: Porque qualquer palavra, qualquer palavra, qualquer palavra que termina com fita é...?Classe: Planta!
Abe: Aêêê!
Um dia, durante uma aula de física, ele apareceu pela janelinha da classe. Ao ser convidado a entrar pelo professor Seu Peru, ele colocou a cabeça pela janela e disse "Non, non... só a cabecinha!"

O professor Fabião é outra figuraça. Eleito vereador (e posteriormente, deputado) praticamente só com votos de alunos, fazia a alegria da moçada. Fingia ser um aluno em dúvida dizendo: "Mas Fabião, seu gordo... escroto... como é isso aí que eu não entendi, ô balofo?" Coçava o saco, peidava no microfone, lançava arroizadas às alunas, e por aí vai. Escrevia ofensas ao professor Batatinha no topo da lousa, onde ele não alcançava, e dizia que, se fosse mentira, era só ele apagar. Uma vez, durante uma aula, um aluno exigiu silêncio da classe em esbórnia, ao que o professor respondeu: "Bah, aqui é o Biju, aqui é zueira! Quer ter aula, vai pro COC!" A represália foi grande, pois ele nunca mais fez essa piada.

O professor Papai Noel era muito engraçado. Quase sempre, ao mencionar portugueses, fazia um breve roleplay que começava com "Eu sou um purtugais... olhe a barriga!" Mencionava Parelheiros (um bairro muito afastado da Grande São Paulo) sempre como um lugar muito distante (Daí os judeus fugiram para um lugar onde ninguém pudesse encontrá-los... Eles foram para Parelheiros!) Sempre usava como ofensa os termos "Corintiano" e "Crustáceo" (Esse facínora! Meliante! Corintiano!) E vivia a se lamentar por morar perto demais do Parque São Jorge. Em dada aula, ele anunciou que em 18xx fora inaugurada a primeira faculdade de Medicina, em Salvador. E o Carrera completou "Ah, então foi aí que começou a imigração japonesa!"

*Na foto, da esquerda pra direita: Judeu, Popeye, uma guria, Boné Rosa, Simão (de penteado novo), Fifo, Phil Collins e eu embaixo.

4 comentários:

Renato disse...

VOTE FABIÃO!
40640

Rafael disse...

Nossa, ri absurdos aqui!
(Esperando o comentário do Carrera ^^)

Jaque disse...

AAAAHoohahoehoaohhoea eu ri muito!
Professor de cursinho é uma dádiva de Deus, a maioria deles são uns completos retardados... talvez um dia eu escreva sobre os meus tb!

Vou linkar ^^

ps.: aqui é a Jaque do seu clube xD

Vanessa Kairalla disse...

hahaha verdade, o Fabião é muito engraçado... e com certeza os alunos dele são grande parte do seu eleitorado.=)