segunda-feira, 31 de março de 2008

Fatos engraçados sobre o Pará

Estou aqui no Pará faz somente 5 dias, ainda assim já reparei em diversas coisas peculiares e bastante engraçadas sobre a região, such as:

1- O Pará não é necessariamente ruim, ou pobre, ou whatever. De fato, o clima não é tão quente assim (não mais que Santos, that is) e a qualidade de vida é até bastante razoável, mesmo para a camada mais pobre. Aqui é, mais precisamente, atrasado. Você anda pelas ruas da cidade com parca sinalização, quase nenhum prédio, calçadas menosprezadas, ruas mais distantes do centro sem asfalto, e pensa: imagine uma cidade do Sudeste no fim dos anos 70/começo dos 80; é exatamente como as cidades do Pará são agora. Essa atmosfera retrógrada é realçada por aspectos como:
a) A proeminência automobilística: ter um carro já é sinal de status em qualquer lugar, mas aqui isso é elevado ao extremo. É como se eles fossem a novidade do momento, aqui. E nem precisa ser um carro bom, não. De fato, pode até ser muito ruim que ninguém lê: basta ter um som, que aparentemente é mais novidade ainda que os carros. Um Uno com um som Pioneer é mais bem visto que uma BMW sem som por aqui. Daí todos os motoristas abrem seus porta-malas com sons enormes tocando brega ou calipso (ver item 2) e faturam todas as piriguetes no pedaço. Quanto maior o seu som, menor seu pinto precisa ser. Com o aparelho de som correto, até um eunuco come a mulher do prefeito.
b) As coisas aqui tem horários de funcionamento bem diferentes... antes das dez da manhã você só acha padarias abertas (e só algumas), e do meio-dia às duas TUDO fecha pro almoço. Com toda a concorrência capitalista do sudeste, com coisas abertas 24hs, foi engraçado para mim me adaptar à esse sistema novo.
c) As LAN Houses são como oásis do século 21. São as únicas coisas que exibem qualquer avanço tecnológico, não fecham, têm ar condicionado, etc... São iguais às LAN Houses ruins do sudeste.
d) Ainda sobre carros, as leis de trânsito parecem que ainda não foram inventadas por aqui. Não existem agentes da CET nem dispositivos diversos para fiscalizar o cumprimento de supostas leis de trânsito. Limites de velocidade não extistem (eu e meu tio viemos de Belém à 220Km/h ontem), semáforos são ignorados, motociclistas não usam capacete, e todas as ruas parecem ser mão dupla; é como estar jogando GTA 24 horas por dia. Mas tudo isso é irrelevante pelo trânsito ser leve e esparso, com poucos carros circulando pelas ruas.

2- Até ontem eu achava que só existia um grupo de calipso no Pará chamado Superpop que fazia um puta sucesso. Porém, after further research, descobri que Superpop é na verdade alguma espécie de dispositivo/aparelho de som/multimídia usado por todos os grupos em shows de calipso, sobre o qual eles adoram ficar falando e cantando várias estrofes (mesmo no rádio). Ainda assim, isso não explica o fato de todos os grupos (que eu calculo serem uns dez mais famosos, ou sei lá) serem quase idênticos. Todos têm batidas iguais, efeitos iguais, cantoras com voz aguda de cantora de anime IDÊNTICAS, e originalidade nula. 8 em cada 10 são versões em calipso (traduzidas para o português, se for o caso) de músicas famosas como Umbrella e -I shit you not- Razões e Emoções. Apesar de agora saber da existência de diversos grupos, eu ainda não sei seus nomes, tampouco sei diferenciá-los.

3- As mulheres são, em geral, feias, com gloriosas exceções. Os homens, however, são ainda mais feios, e muito mais numerosos. Com um pouquinho mais de tempo eu conseguirei descobrir onde as bonitas se escondem (elas existem que eu já vi, mas tem mêdo de sair de casa... and seriously, can you blame them?) e tentarei jogar meu charme de paulista.

4- A população japonesa de Castanhal é um caso à parte de comédia: eles são numerosos, uma porcentagem significativa da população, e você pode vê-los em seus estabelecimentos comerciais e em festas... ainda assim, eles aparentam possuir um medo mortal das ruas (ver item 3) e você pode passar horas vagando pela cidade sem ver um único japonês. A maior parte dos japoneses podem ser encontrados em LAN Houses (ver item 1-c), o que me leva a crer que as garotas bonitas se escondem em LAN Houses cidade afora (ver item 3), pois a maior parte delas são japonesas. As que não são, devem andar junto com elas.

5- Todo mundo aqui é piloto. Você não vê um único carro na rua que não faça curvas em alta velocidade, dê cavalos-de-pau ou coisa do tipo. (vide item 1-a)

6- Aqui vou ter que aprender a ser macho na marra, ou ter uma vida social bem restrita. Castanhalenses acham que uma boa festa só é completa com umas porradas. =P

7- Ainda não achei uma farmácia que venda Olla. Ainda bem que não planejo fazer sexo tão cedo, do contrário estaria em maus lençóis.

Bom, acho que não tenho muito mais a dizer... continuarei atualizando isso aqui com o tempo
Abraços para todos =)

9 comentários:

Dani.chan disse...

Você fala pará, mas pará é o estado, em qual cidade você está?
Eu duvidei bastante que você fosse embora, e ai está você no outro canto do pais o.o

Boa sorte ae
\o

Renato disse...

Qualquer dia pixa no muro as seguintes palavras
PANZER!!!!!

Se essas japonesas forem mestiças, ae acredito q elas são bonitas.
Cheque isso!

NOKU disse...

aceito pedidos de exportaçao de camisinhas ola
aiuhaiuhiuhaiu

Lorraine disse...

"o que me leva a crer que as garotas bonitas se escondem em LAN Houses cidade afora"
saaehoiuaheouihs que engraçado!

e drogaaaaaaa, já falaram dos pedidso de camisinhas..
xDDD


***;
já falei que vc escreve bem pra caramba? xD

Patty disse...

Bem Loner... Se vc está em uma cidadezinha do interior do Pará, esta cidadezinha não seria parecida com qualquer cidadezinha do interior de qualquer estado?

Sua descrição de Castanhal me lembra algumas cidades por onde andei, aqui em SP: Flórida Paulista, Tupã, Iacri, Junqueirópolis, Paulicéia...

Se você for para Belém, será que você não vai achar a capital parecida com qualquer cidade grande?

Cuidado com os patrícios aí, viu! Quem sabe um deles saca um facão!

CALYPSUUUUUUU!!!!

Vanessa Kairalla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa Kairalla disse...

er... mesmo eu tendo um ligeiro medinho de você, como a Lorraine me falou sobre você escrever muito bem o que me deixou com uma profunda inveja porque eu realmente sempre quis escrever bem, eu fiquei curiosa e - bisbilhoteira como sou - entrei aqui para dar uma olhada nos seus textos que, segundo a Lolo, eram muito bons.
Daí eu entrei, li e - é claro que quase chorando - concordei com a Lolo.
Ainda está ecoando pela minha cabeça "Poxa! É verdade mesmo, ele é bravo, porém, escreve umas quinhentas vezes melhor que eu! Peraí, eu disse quinhentas? Ops! Acho que errei o número, eu quis dizer um milhão de vezes melhor que eu!"
E, por isso, quero deixar bem claro que, o meu medo pré-estabelecido, se tornou uma ligeira inveja da sua capacidade de escrever bem!

Espero que sinta remorço por me fazer desistir de um dia escrever bem! Hahahaha

Booom divertimento na "Caça às mulheres bonitas do Pará"!

K1 disse...

Que tenso véi. xD
Mas não posso falar muito... Aqui em Itupeva não tava muito longe disso até a pouco tempo.
(Lembro q tinha um bar chamado 'Risca Faca' e os frequentadores faziam jus ao nome).

Das 12h às 14h? Siesta assim mesmo? Rox!

Abraço
Flwz o/

Chester disse...

Morando em belém, tenho que concordar com tudo isso, senão acrescentar algo para aqueles que não vivem essa realidade
Castanhal está para Belém assim como Campinas está para São Paulo

não estão satisfeitos? desciclopédia!
http://desciclopedia.ws/wiki/Bel%C3%A9m

conhecendo a capital (já que tudo aqui é verdade), dá pra tirar uma idéia de como é castanhal